USDA corta produção e estoques de milho dos EUA para 2020/21

664


     Porto Alegre, 15 de janeiro de 2021 – O relatório de dezembro de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgado na última terça-feira (12), sacudiu o mercado internacional de milho, elevando os preços na Bolsa de Chicago aos níveis mais altos em 80 meses, desde maio de 2014. O USDA cortou os números de produção e estoques norte-americanos na temporada 2020/21 e também reduziu os dados globais.

     Segundo o USDA, o país terá estoques finais na safra 2020/21 de 1,552 bilhão de bushels, contra 1,702 bilhão de bushels indicados em dezembro, enquanto o mercado esperava um número de 1,597 bilhão de bushels. Os Estados Unidos deverão colher 14,182 bilhões de bushels na temporada 2020/21, contra 14,507 bilhões de bushels indicados em dezembro, e os 14,434 bilhões de bushels esperados pelo mercado. A produtividade média em 2020/21 foi reduzida de 175,8 bushels por acre para 172 bushels. A estimativa da área a ser plantada caiu de 91 milhões de acres para 90,8 milhões de acres e a área a ser colhida segue projetada em 82,5 milhões de acres.

     As exportações em 2020/21 estão previstas em 2,550 bilhões de bushels, contra 2,650 bilhões em dezembro. O uso de milho para a produção de etanol foi reduzido de 5,050 bilhões de bushels para 4,950 bilhões de bushels.

     MUNDO

     O relatório estimou a safra global 2020/21 em 1.133,89 milhão de toneladas, abaixo das 1.143,56 milhão de toneladas indicadas em dezembro. Os estoques finais da safra mundial 2020/21 foram projetados em 283,83 milhões de toneladas, abaixo das 288,96 milhões de toneladas indicados no mês passado, enquanto mercado apostava em um número de 284 milhões de toneladas.

     A estimativa de safra brasileira éde 109 milhões de toneladas, contra 110 milhões de toneladas no mês passado. A produção da Argentina deve atingir 47,5 milhões de toneladas, ante as 49 milhões de toneladas indicadas em dezembro. A Ucrânia teve sua projeção de safra mantida em 29,5 milhões de toneladas. A África do Sul teve a safra mantida em 16 milhões de toneladas. A China teve sua estimativa de produção apontada em 260,67 milhões de toneladas, contra 260 milhões em dezembro.

     Para a safra global 2019/20, os estoques finais foram projetados em 303,01 milhões de toneladas, contra as 303,42 milhões de toneladas apontadas no mês passado.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 / Grupo CMA