Ano foi marcado por safra recorde de açúcar no Brasil

278

     Porto Alegre, 23 de dezembro de 2020 – O ano de 2020 foi marcado no setor de açúcar brasileiro por uma safra recorde. Conforme o terceiro levantamento de safra da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), o Brasil encerrará a temporada 2020/21 com uma produção de açúcar totalizando 41,8 milhões de toneladas, a maior da história, superando o recorde anterior, da safra 2016/17, quando o país produzira 38,7 milhões de toneladas do adoçante.

   A forte produção da safra 2020/21, após três anos consecutivos de retração, resultou de um cenário de taxa de câmbio elevada no Brasil, uma recuperação nos preços açúcar no mercado internacional e também uma melhor qualidade industrial da cana. Com isso, as usinas elevaram a proporção de cana colhida destinada à produção de açúcar, passando de 35% no ano anterior para 46% na safra atual.

Centro-Sul

    A região Centro-Sul deve encerrar a safra 2020/21 (abril-março) registrando uma moagem de cana de 605 milhões de toneladas, volume que, se confirmado, representará um crescimento de 2,5% na comparação com as 590,36 milhões de toneladas colhidas em 2019/20, de acordo com projeção da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA).

    O grande destaque do ano na principal região canavieira do país foi, também, a produção de açúcar, que deve crescer 43,5%, para 38,4 milhões de toneladas, um volume recorde para a região. Por outro lado, a produção de etanol total (hidratado mais anidro) deve recuar 8,4%, totalizando 30,443 bilhões de litros. O mix açucareiro passou de 34,33% em 2019/20 para 46,04% em 2020/21, enquanto a proporção de cana destinada à produção de etanol diminuiu de 65,67% para 53,96%.

    “Mesmo com o recorde da produção de açúcar, a safra continuou mais alcooleira”, disse o diretor-técnico da UNICA, Antonio Pádua Rodrigues. “No final de novembro já tínhamos mais cana processada que no total da safra 2019/20. Além disso, todos esperavam uma maior produção de açúcar, com incremento de até 10 milhões de toneladas, e vamos acabar tendo 11,5 milhões de toneladas a mais que o ano passado. Por que cresceu acima da expectativa? Por conta da melhor qualidade da cana, e isso foi determinante. Apenas pelo fato da planta conter mais sacarose diante das nuances que marcaram o padrão climático neste ano, foi possível produzir 2,5 milhões de toneladas adicionais de açúcar”, salientou.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS Copyright 2020 – Grupo CMA