Atento a fator cambial, mercado de milho deve seguir com preços firmes no Brasil

77

     Porto Alegre, 3 de março de 2021 O mercado de milho deve ter mais um dia de limitação nos negócios em meio ao foco dos produtores na colheita da soja. Com pouca oferta no mercado disponível e com a alta do dólar frente ao real, a tendência é de novos movimentos de alta nos preços do cereal nesta quarta-feira. No cenário internacional, a Bolsa de Chicago opera com preços em queda, embolsando lucros.

     Na terça-feira (2), o mercado brasileiro de milho apresentou preços em elevação. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, a alta do dólar garante suporte aos avanços no país e a colheita da soja limita o fluxo de milho. Os trabalhos se concentram na colheita e comercialização da oleaginosa e o milho fica deixado para segundo

plano.

     No porto de Santos e Paranaguá, a saca de 60 quilos foi cotada entre R$ 75,00 e R$ 77,00 para entrega na safrinha.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 81,00/83,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 86,00/87,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 90,50/92,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 84,00/85,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 76,00/80,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 76,00 e R$ 79,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 73,00/75,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos do milho com vencimento em maio operam com baixa de 5,25 centavos, ou 0,96%, neste momento, cotados a US$ 5,39 3/4 por bushel.

* O mercado realiza parte dos lucros acumulados ontem, quando subiu mais de 1%. O mercado espera agora o anúncio de novas vendas por parte de exportadores privados dos Estados Unidos, como aconteceu ontem.

* Ontem (1), os contratos de milho com entrega em maio/21 fecharam a US$ 5,45, alta de 6,75 centavos de dólar, ou 1,25, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra valorização de 0,51% a R$ 5,695.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +1,95%. Tóquio, +0,51%.

* As principais bolsas na Europa operam em alta. Paris, +0,68%; e Londres, +0,81%.

* O petróleo opera em alta. Abril do WTI em NY: US$ 60,68 o barril (+1,55%).

* O Dollar Index registra alta de 0,16%, a 90,93 pontos.

AGENDA

– O comitê técnico da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) se reúne virtualmente para discutir os níveis de produção de seus membros e de seus aliados.

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

– EUA: O Livro Bege, relatório com uma avaliação da situação econômica, será publicado às 16h pelo Federal Reserve.

—–Quinta-feira (4/03)

– Eurozona:  A taxa de desemprego de janeiro será publicada às 7h pela Eurostat.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (5/03)

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Produção industrial de fevereiro – IBGE, 9hs.

– Vendas, exportações e produção de máquinas agrícolas em fevereiro – Anfavea, a partir das 10hs.

– EUA:  O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a fevereiro serão publicados às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– EUA: O resultado da balança comercial de janeiro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Comércio.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Evolução da colheita de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA