Buscando paridade, preços domésticos do algodão recuam 5% em março

62

     Porto Alegre, 1 de abril de 2021 – Os preços do algodão no mercado brasileiro recuaram 5% em março, guiados pela paridade de exportação. Na média do polo industrial paulista, a fibra fechou a quarta-feira (31) cotada a R$ 4,76 por libra-peso. Na comparação com o mesmo período do ano passado, ainda há ganhos de 64,7%.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, o produto brasileiro fechou o dia 31 a 83,59 centavos de dólar por libra-peso (c/lb), subindo 2,0% em relação ao dia anterior. Ante ao contrato spot da Ice Futures (maio/2021), a pluma brasileira finalizou cotada por um valor 3,3% superior, contra 1,6% superior da véspera. Há uma semana, era 2,5% mais alta. E, há mês, 0,6% mais elevadas.

     Segundo o analista de SAFRAS % Mercado, Élcio Bento, com a indústria mais cautelosa nas aquisições, esse alargamento do spread entre as cotações nacionais e estrangeiras tende a impedir uma eventual retomada de alta para a fibra brasileira.

     No âmbito externo, destaque para a área total a ser plantada com algodão nos Estados Unidos em 2021, que deverá ocupar 12,036 milhões de acres. A previsão é do relatório de intenção de plantio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), divulgado nesta quarta-feira (31). O número representa um leve recuo na área frente a 2020, quando foram cultivados 12,092 milhões de acres. O mercado apostava em 11,9 milhões de acres.

     Contando apenas o algodão upland, a área deve chegar a 11,894 milhões de acres, praticamente igual a 2020, quando somou 11,890 milhões. Já a área do algodão pima deve registrar recuo de cerca de 30%, atingindo 142 mil acres – em 2020 foram 202,5 mil acres.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA