Cai volume de açúcar programado para embarque nos portos

130

    Porto Alegre, 21 de maio de 2021 – O total de navios que aguarda para embarcar açúcar nos portos brasileiros estava em 51 na semana encerrada em 19 de maio, contra 56 na semana anterior (12), de acordo com levantamento realizado pela agência marítima Williams Brasil. Conforme o relatório, foi agendado carregamento de 2,054 milhões de toneladas de açúcar, ante 2,372 milhões de toneladas na semana anterior. Pelo Porto de Santos (SP) deve ser carregada a maior parte (1.570.293 toneladas). Depois aparecem o porto de Paranaguá, no Paraná (451.614 toneladas), e Maceió, nas Alagoas (32.200 toneladas).

   A carga de açúcar a ser exportada consiste da variedade VHP (2.006.097 toneladas), e Cristal B150 (48.010 toneladas). O relatório da agência leva em conta as embarcações já ancoradas, as que estão em largo esperando atracação e ainda as com previsão de chegada até o dia 16 de junho.

Conab espera queda na produção de cana em 2021

    A primeira estimativa da safra de cana-de-açúcar 2021/22 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indica que o Brasil deve produzir 628,1 milhões de toneladas, volume 4% menor em comparação com 2020/21.  A queda é explicada pela redução de 3% na área de colheita no Sudeste, principal região produtora do país, com 5,2 milhões de hectares, e decréscimo de 6,2% na produção, prevista em 402,2 milhões de toneladas.

    Devido à pandemia, a Conab havia adiado o estudo da safra de cana e, com isso, a divulgação referente ao 4O levantamento de cana-de-açúcar para 2020/21, encerrada no último mês de março, saiu também nesta terça-feira (18), junto com o 1 levantamento da safra atual.

     A pesquisa mostrou que o volume de cana-de-açúcar neste ciclo totalizou 654,8 milhões de toneladas, 1,8% superior ao de 2019/20. Tal crescimento não acompanhou o aumento de 2,1% na área colhida devido às condições climáticas adversas em algumas regiões produtoras.

    O Sudeste manteve seu alto padrão, alcançando 428,6 milhões de toneladas colhidas, indicando acréscimo de 3,3% em comparação a 2019/20, sendo São Paulo e Minas Gerais os grandes destaques da região. Centro-Oeste também apresentou leve crescimento de 0,2% na área colhida, atingindo 1,8 milhão de hectares, redução de 0,6% na produtividade média e produção 0,5% inferior ao ciclo que a antecedeu, chegando a 139,8 milhões de toneladas.

    Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA