Chicago dispara após USDA cortar oferta de trigo dos EUA e do mundo

123

Porto Alegre 12 de julho de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais altos. O mercado disparou após o relatório mensal de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicar corte maior que o esperado nas safras e nos estoques globais e dos Estados Unidos em 2021/22. Os contratos vinham de seis sessões negativas consecutivas.

A safra mundial de trigo em 2021/22 é estimada em 792,4 milhões de toneladas, contra 794,44 milhões de toneladas em junho. Para 2020/21, a estimativa fica em 775,82 milhões de toneladas. Os estoques finais globais em 2021/22 foram estimados em 291,68 milhões de toneladas, abaixo das 296,8 milhões de toneladas estimadas no mês passado. O mercado esperava 295,8 milhões de toneladas. Para 2020/21, as reservas finais são estimadas em 290,18 milhões de toneladas, contra 293,48 milhões em junho. O mercado esperava 293,5 milhões de toneladas.

A produção do cereal nos Estados Unidos em 2021/22 é estimada em 1,746 bilhão de bushels, contra 1,898 bilhão estimados em junho. O mercado esperava 1,835 bilhão. Para a safra 2020/21, a produção estadunidense ficou em 1,826 bilhão de bushels. Os estoques finais do país em 2021/22 foram projetados em 665 milhões de bushels, contra 770 milhões no mês passado. O mercado esperava 711 milhões. Em 20/21, foram 844 milhões, contra 852 milhões em maio e 845 na expectativa do mercado.

No fechamento de hoje, os contratos com entrega em setembro de 2021 eram cotados a US$ 6,40 3/4 por bushel, ganho de 25,75 centavos, ou 4,18%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro de 2021 eram negociados a US$ 6,47 1/4 por bushel, alta de 23,50 centavos de dólar, ou 3,76%, em relação ao fechamento anterior.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA