Chicago recua e deve travar negócios com soja no Brasil

147

     Porto Alegre, 2 de agosto de 2021 – O mercado deve abrir a semana em ritmo lento e com preços recuando nas principais praças do país, devido ao recuo das cotações futuras em Chicago. Os vendedores seguem retraídos, esperando por um cenário mais adequado e trazendo lentidão aos negócios.

     Com Chicago caindo forte e o dólar apresentando valorização acentuada, o mercado brasileiro de soja encontrou dificuldades para achar um direcionamento nos preços e teve uma sexta lenta. As atuais cotações domésticas não atraem os vendedores e o mercado segue vazio de negócios. A firmeza dos prêmios se destaca e evita um quadro ainda pior para a comercialização.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 163,00. Na região das Missões, a cotação permaneceu em R$ 162,00. No porto de Rio Grande, o preço baixou de R$ 168,50 para R$ 168,00.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço passou ficou em R$ 163,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca recuou de R$ 169,00 para R$ 168,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 165,00 para R$ 168,00. Em Dourados (MS), a cotação baixou de R$ 153,00 para R$ 152,50. Em Rio Verde (GO), a saca recuou de R$ 162,00 para R$ 161,00.

     O SAFRAS CTDI, índice de preço de soja do Brasil no mercado físico, calculado por SAFRAS & Mercado e pela China TickData, está em 217,82 pontos, com ganho de 0,29% sobre o dia anterior.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em novembro registram desvalorização de 0,61% neste momento, cotado a US$ 13,41 1/4 por bushel.

* O mercado recua pela segunda sessão seguida, pressionado pela previsão de chuvas em partes do cinturão produtor dos Estados Unidos. Hoje, no final do dia, saem as condições das lavouras daquele país.

PREMIOS

* Os prêmios de exportação da soja estiveram em 138 a 148 pontos acima de Chicago no final da sexta no Porto de Paranaguá, para agosto. Para setembro, o prêmio era de 143 a 155 acima. Para março do ano que vem, o prêmio estava em 6 a 13 acima. Os referenciais seguem firmes e subindo na comparação com o dia anterior.

* Apesar da lentidão no mercado de exportação, a pouca demanda garantiu a alta dos prêmios ao longo da semana passada. Os vendedores seguem retraídos, acompanhando a lentidão da comercialização no mercado físico.

CÂMBIO

*O dólar comercial registra baixa de 0,41% a R$ 5,19. O Dollar Index registra perda de 0,22% a 91,97 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +1,97%. Tóquio, +1,82%.

* As principais bolsas na Europa registram índices mais altos. Paris, +0,51%. Londres, +0,69%.

* O petróleo opera em baixa. Setembro do WTI em NY: US$ 72,93 o barril

(-1,37%).

AGENDA

– Inspeções de exportação semanal dos EUA – USDA, 12hs.

– Balança comercial de julho – Ministério da Economia, 15hs.

– Condições das lavouras dos EUA – USDA, 17hs.

—-Terça-feira (3/08)

– Eurozona: O índice de preços ao produtor de junho será publicado às 6h pela Eurostat.

– O IBGE divulga às 9h os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Industrial referentes a junho.

– Dados sobre as lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

—–Quarta-feira (4/08)

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

– Definição da taxa Selic, juro básico da economia brasileira – Copom/BC, após o fechamento do mercado.

– Resultado financeiro da Petrobras, após o fechamento do mercado.

—–Quinta-feira (5/08)

– Reino Unido: A decisão de política monetária será publicada às 8h pelo Banco da Inglaterra.

– Reino Unido: O Relatório de Inflação, documento trimestral com projeções para a economia, será publicado às 8h pelo Banco da Inglaterra.

– EUA: O resultado da balança comercial de junho será publicado às 9h30 pelo Departamento do Comércio.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (6/08)

– Alemanha: A produção industrial de junho será publicada às 3h pelo Ministério de Economia e Tecnologia.

– Atualização da evolução das lavouras argentinas – Ministério da Agricultura, na parte da manhã.

– EUA: O número de empregos criados ou perdidos pela economia (payroll) e a taxa de desemprego referentes a julho serão publicados às 9h30 pelo

Departamento do Trabalho.

– Dados do setor automotivo no mês de julho – Anfavea, 10hs.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA