Clima seco no Brasil e na Argentina favorece altas do trigo em agosto

1046

Porto alegre, 3 de setembro de 2021 – O mercado brasileiro de trigo segue acompanhando o desenvolvimento das lavouras no Rio Grande do Sul, no Paraná e na Argentina. Ao longo de agosto, a maioria das regiões sofreram com a falta de chuvas, que provocou estresse às plantas. Na última semana do mês, a volta das precipitações aliviou as preocupações.

As safras do Paraná e do Rio Grande do Sul devem ser finalizadas com volumes menores do que o estimado inicialmente. Porém, os números ainda devem superar o ano passado e proporcionar uma produção recorde ao brasil neste ano.

Em agosto, os preços do trigo de safra velha subiram em média 3,4% no Paraná, 3,6% no Rio Grande do Sul e 3,5% na Argentina. Para a safra nova, a alta na Argentina foi de 8,92% no período. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, os motivos são a pouca oferta, a firmeza do dólar dólar, os problemas climáticos e a quebra na safrinha do milho, que deve aumentar demanda pelo trigo pra ração.

Deral

O Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, informou, em seu relatório mensal, que a safra 2021 de trigo do Paraná deve registrar uma produção de 3,721 milhões de toneladas, 17% acima das 3,190 milhões de toneladas colhidas na temporada 2020. Em julho, a safra 2021 havia sido indicada em 3,887 milhões de toneladas.

A área cultivada deve ficar em 1,213 milhão de hectares, contra 1,136 milhão de hectares em 2019, alta de 7%. A produtividade média é estimada em 3.095 quilos por hectare, acima dos 2.824 quilos por hectare registrados na temporada 2020.

Emater/RS

A situação no Rio Grande do Sul é um pouco menos preocupante. O estado recebeu chuvas favoráveis na semana passada e, ainda que tenha sofrido com a estiagem, ainda tem tempo para se recuperar. Na Regional de Ijuí da Emater/RS, as lavouras têm bom desenvolvimento, mas devem ter perda no potencial produtivo. O número ainda não foi estimado.

Na Regional de Frederico Westphalen, o desenvolvimento é positivo e o rendimento deve superar o do ano passado. Já na regional de Santa Rosa, a perda

já é estimada em 7% devido ao clima quente, seco e ventoso. Conforme fontes consultadas pela Agência SAFRAS, a tendência é de normalidade para o clima e o desenvolvimento daqui pra frente. O crescimento segue atrasado a nível estadual.

Argentina

A ocorrência de chuvas na semana aliviou o estresse hídrico das lavouras de trigo da Argentina. Segundo a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 40% das lavouras estão em situação de regular a seca. Na semana passada, eram 52%. Em igual período do ano passado, 53% da área estava nessa situação. A superfície totaliza 6,5 milhões de hectares.

Safra global

A produção mundial de trigo em 2021/22 deverá totalizar 769,5 milhões de toneladas, contra 775,1 milhões do ano anterior. Segundo o Sistema de Informação do Mercado Agrícola (AMIS), no relatório anterior, a previsão era de 784,7 milhões de toneladas. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indica produção global de 776,9 milhões para 2020/21. O Conselho Internacional de Grãos indica safra de 789,4 milhões de toneladas para 2021/22.


Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA