Contrariando NY, preço doméstico do algodão busca acomodação

202

     Porto Alegre, 18 de dezembro de 2020 – Na contramão da Bolsa de Nova York, as cotações do algodão buscam acomodação e chegam ao final da semana com cotações estáveis em relação à anterior. A indicação média no CIF do polo industrial paulista ficou em R$ 3,80 por libra-peso nesta quinta-feira (17), mesmo valor do dia 10. Na comparação com igual momento do mês e do ano passado, ainda acumula ganhos de 0,8% e de 42,5%, respectivamente.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, a fibra brasileira fechou a 74,59 centavos de dólar por libra-peso (c/lb) nesta quinta-feira, com alta de 4,4% em relação ao mesmo momento do mês passado. Ante ao contrato de maior liquidez negociado na Ice Futures (março/2021), a pluma brasileira era cotada por um valor 3,4% inferior. Há uma semana, era 1,2% superior e, há um mês, 1,8% inferior.

     Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, com o aumento dos casos de Covid-19 no Brasil, os compradores têm sido menos agressivos nas aquisições. “Além disso, existe a expectativa de que o câmbio mantenha a tendência de queda no início do próximo ano, o que derrubaria a paridade de exportação e pressionaria o mercado doméstico”, pondera.

     No cenário internacional, destaque para os dados de dezembro divulgados pelo Ministério da Agroindústria da Argentina. A área cultivada com algodão no país na temporada 2020/21 deverá ocupar 480 mil hectares, 6,7% superior à safra anterior, segundo dados de dezembro divulgados pelo Ministério da Agroindústria. Frente ao relatório anterior, há estabilidade. Na safra 2019/20, foram cultivados 450 mil hectares. A produção de algodão em caroço somou 1,1 milhão de toneladas. 

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2020 – Grupo CMA