Cooxupé estima embarques recordes de café em 2021, mesmo com safra 32% menor

680

     Porto Alegre, 1 de abril de 2021 – A Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé), maior cooperativa de café do Brasil e do mundo, anunciou nesta quarta-feira, 31 de março, em assembleia geral ordinária, o balanço de 2020. Em entrevista à Agência SAFRAS após a divulgação, o presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, disse que a cooperativa deve alcançar embarques recordes em 2021, em que pese à safra praticamente 32% menor esperada para os cooperados.

     Carlos Augusto destacou que, devido à bienalidade produtiva, sendo esse ano de 2021 de menor produção, e com o clima muito ruim em 2020, a produção na região de atuação da Cooxupé pelos cooperados deve cair de 10,99 milhões de sacas em 2020 para 7,49 milhões de sacas em 2021, uma diminuição de 31,8%. O presidente da Cooxupé salientou que no ano passado foram ainda piores as altas temperaturas do que o déficit hídrico.

     Os embarques de café efetuados pela Cooxupé, contando vendas internas e exportações, chegaram a 5,9 milhões de sacas em 2020. Deste volume, 4,9 milhões foram exportações. Para 2021, a expectativa é de um recorde de embarques, chegando a um total de 7,2 milhões de sacas, sendo 6,5 milhões de sacas de exportações. Apesar da safra menor, Carlos Augusto indica que os embarques devem atingir o melhor desempenho da história por causa do que está sendo carregado da safra passada para este ano.

     Porém, é grande a preocupação da cooperativa com a dificuldade imposta pela falta de contêineres. Carlos Augusto destacou que os Estados Unidos e China estão dominando o mercado e impondo esses empecilhos, o que leva a sobretaxas no transporte marítimo. A Cooxupé esperava embarcar entre 500 e 600 mil sacas por mês em fevereiro e março, mas por esse problema embarcou em torno de 450 mil sacas na média.

     O dirigente da Cooxupé salientou na entrevista o faturamento recorde de R$ 5,1 bilhões e o recebimento recorde de 8,1 milhões de sacas. E em terceiro lugar destaque para o fato de que os cooperados receberão adicionalmente R$ 107 milhões em 2021, referentes às sobras geradas pelos resultados na ordem de R$ 325 milhões.

     O recebimento total da cooperativa em 2021 deve cair para 5,9 milhões de sacas, segundo Carlos Augusto, após o recorde de 8,1 milhões de sacas em 2020.

     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA