Dólar fecha em queda em sessão volátil com exterior e fluxo local

98

     Porto Alegre, 26 de maio de 2021 – O dólar comercial fechou em queda de 0,46% no mercado à vista, cotado a R$ 5,3120 para venda, em sessão de volatilidade, em linha com o movimento das principais moedas de países emergentes que ganharam terreno em boa parte do pregão em relação à moeda norte-americana. Aqui, um movimento de ajuste técnico, além da entrada de um fluxo de recursos estrangeiros na bolsa brasileiro (B3), ajudaram a sustentar a queda do dólar.

   O diretor da Correparti, Ricardo Gomes, reforça que o ingresso de um fluxo positivo de recursos estrangeiros “pela via financeira” ajudou na queda da moeda no mercado doméstico. A economista-chefe da Veedha Investimentos, Camila Abdelmalack, destaca a lateralidade da moeda na sessão e ao longo da semana aqui e lá fora.

   “Conforme vão sendo divulgados os discursos dos dirigentes do Fed [Federal Reserve, o banco central norte-americano], o mercado vai oscilando”, comenta, acrescentando que o debate em torno da taxa de juros nos Estados Unidos em meio ao comportamento da inflação norte-americana tem elevado a pressão na taxa de câmbio. “Mesmo com os membros do Fed reforçando que a pressão inflacionária no país ‘é transitória'”, diz.

   Amanhã, na agenda de indicadores, o destaque fica para a segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no primeiro trimestre, no qual, para a economista da Veedha, tem força para fazer preço, junto aos dados semanais de pedidos de seguro-desemprego no país. Segundo Gomes, o indicador tem potencial para alavancar a moeda, caso o resultado gere “inquietação” nos investidores.

    As informações partem da Agência CMA.

Revisão: Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA