Elevar Selic a nível neutro deixaria inflação abaixo da meta, diz meta

130
Edifício-sede do Banco Central no Setor Bancário Norte, em lote doado pela Prefeitura de Brasília, em outubro de 1967

     Porto Alegre, 11 de maio de 2021 – A inflação no Brasil ficaria “consideravelmente” abaixo da meta se a taxa básica de juros (Selic) subisse de forma ininterrupta até atingir o chamado nível neutro – em que ela não estimularia nem restringiria a atividade econômica -, afirmou o Comitê de Política Monetária (Copom) na ata da reunião ocorrida na semana passada.

     “Elevações de juros subsequentes, sem interrupção, até o patamar considerado neutro implicam projeções consideravelmente abaixo da meta de inflação no horizonte relevante”, disse o grupo no documento.

     “Essa visão para as próximas reuniões pode ser alterada caso haja mudança nas projeções de inflação ou no balanço de riscos, uma vez que a decisão continuará dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos, e das projeções e expectativas de inflação”, acrescentou.

     Na semana passada, o Copom elevou a Selic em 0,75 ponto porcentual (pp), para 3,50% ao ano, e indicou que em junho deve elevar a taxa de novo e na mesma magnitude, para 4,25%. As informações são da Agência CMA.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA