Escassez de oferta interna mantém preços do algodão em alta

179

     Porto Alegre, 14 de maio de 2021 – Na contramão dos preços internacionais e respondendo à escassez de oferta de produto de alto padrão, as cotações do algodão no Brasil seguem operando com firmeza. No CIF das indústrias paulistas, a pluma fechou a quinta-feira (13) cotada a R$ 5,12 por libra-peso, subindo 0,2% em relação à véspera. Comparado ao mesmo período do mês e do ano passado, acumulava ganhos de 6,3% e de 94,5%, respectivamente.

     No FOB exportação do porto de Santos/SP, o produto brasileiro encerrou o dia 13 a 94,42 centavos de dólar por libra-peso (c/lb), recuando 1,2% em relação ao dia anterior. Ante ao contrato julho/21 da Ice Futures, a pluma brasileira fechou a quinta-feira cotada por um valor 11,0% superior, contra 7,0% mais alto do fechamento anterior. Há uma semana, era 6,4% superior. E, há mês, 1,4% mais alto.

     Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Élcio Bento, a tendência para a próxima temporada é de um ajuste no quadro de oferta e demanda. “A produção estimada é de 2,4 milhões de toneladas, contra 3,042 milhões de toneladas da atual”, lembra. “Com os preços internacionais em alta e com um dólar acima de R$ 5,00, as indústrias terão que seguir agressivas nas ofertas para assegurar o abastecimento, especialmente nas fibras de melhor qualidade”, pondera.

     A colheita de algodão na Argentina na temporada 2020/2021 chegava a 40% da área, informou o Ministério da Agroindústria do país em relatório do dia 13. Em igual período do ano passado, a colheita estava em 66%. Na semana anterior, o percentual era de 33%. A área para 2020/21 está projetada em 437,752 mil hectares, ante 444,41 mil hectares na temporada anterior.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA