Forte queda em Chicago deve pressionar mercado doméstico de soja

136

     Porto Alegre, 10 de março de 2021 – O mercado brasileiro de soja deve ser pressionado nesta quarta-feira pela forte queda na Bolsa de Mercadorias de Chicago, após o relatório de oferta e demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos surpreender e manter os estoques do país, quando era esperado um recuo. O dólar, outro importante formador de preços, apresenta bastante volatilidade nos primeiros negócios, oscilando entre os territórios positivo e negativo.

     Os preços da soja voltaram a subir nas principais praças do país nesta terça, acompanhando os ganhos de Chicago e do dólar. Mas pouca soja trocou de mão e as referenciais são apenas nominais. Os produtores seguem afastados do mercado e mantêm o foco na colheita.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 176,50 para R$ 179,00. Na região das Missões, a cotação avançou de R$ 175,50 para R$ 178,00. No porto de Rio Grande, o preço subiu de R$ 182,50 para R$ 183,00.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço seguiu em R$ 169,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 180,00 para R$ 183,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca subiu de R$ 173,00 para R$ 173,50. Em Dourados (MS), a cotação passou de R$ 158,00 para R$ 160,00. Em Rio Verde (GO), a saca subiu de R$ 161,00 para R$ 165,00.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em maio de 2021 operam com baixa de 1,45%, cotados a US$ 14,19 por bushel.

* A manutenção na estimativa dos estoques norte-americanos por parte do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, quando era esperado um corte, abre espaço para a correção.

* Os estoques finais estão estimados em 120 milhões de bushels ou 3,26 milhões de toneladas, sem alteração. O mercado apostava em carryover de 117 milhões ou 3,18 milhões de toneladas.

PRÊMIO

* O prêmio em Paranaguá para março ficou entre 25 pontos abaixo e estável ante Chicago. Para abril, o prêmio fica entre 12 e 5 pontos abaixo.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra desvalorização de 0,20% a R$ 5,7800.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram mistas. Xangai, -0,05%. Tóquio, +0,03%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,57%; e Londres, -0,19%.

* O petróleo opera em alta. Abril do WTI em NY: US$ 64,43 o barril (+0,65%).

* O Dollar Index registra baixa de 0,12%, a 92,07 pontos.

AGENDA

—–Quarta-feira (10/03)

– EUA: O índice de preços ao consumidor de fevereiro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 12h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

—–Quinta-feira (11/03)

– IPCA e INPC de fevereiro – IBGE, 9hs.

– Levantamento Sistemático de Produção Agrícola – IBGE, 9hs.

– Atualização das projeções de safra do Brasil em 2020/21 – Conab, 9hs.

– Eurozona: A decisão de política monetária será publicada às 9h45 pelo Banco Central Europeu (BCE).

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (12/03)

– Alemanha: A versão revisada do índice de preços ao consumidor de fevereiro será publicada às 4h pelo Destatis.

– Reino Unido: A balança comercial de janeiro será publicada às 4h pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A produção industrial de janeiro será publicada às 4h pelo departamento de estatísticas.

– Eurozona: A produção industrial de janeiro será publicada às 7h pela Eurostat.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– EUA: O índice de preços ao produtor de fevereiro será publicado às 10h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Evolução da colheita de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA