IBC-BR cai 1,59% em março ante fevereiro; mercado previa -1,70%

120
Edifício-sede do Banco Central no Setor Bancário Norte, em lote doado pela Prefeitura de Brasília, em outubro de 1967

     São Paulo, 13 de maio de 2021 – O Indice de Atividade Econômica (IBC-Br) do Banco Central interrompeu uma sequência de dez meses consecutivos em alta e recuou 1,59% em março em relação a fevereiro, ndo a 140,16 pontos. Com isso, o resultado ficou ligeiramente acima da mediana das expectativas calculada pelo Termômetro CMA, de -1,70%.

     Nos dados sem ajuste sazonal, o IBC-BR atingiu 145,24 pontos, alta de 6,26% em março na comparação com o mesmo período de 2020, também acima da previsão do mercado, que esperava alta de 5,50%.

     Com isso, o indicador acumulou ganho de 2,27% no primeiro trimestre de 2021, enquanto no acumulado em 12 meses até março, o IBC-Br registrou perda de 3,37%.

     O indicador calculado pelo BC tem o objetivo de antecipar avaliações sobre o Produto Interno Bruto (PIB).

     As informações são da agência CMA.

Copyright 2021 – Grupo CMA