IPCA-15 tem alta de 0,72% em julho – Carnes sobem 1,74%

199

     Porto Alegre, 23 de julho de 2021 – O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de julho foi de 0,72%, ficando 0,11 ponto percentual abaixo da taxa de junho (0,83%). Essa foi a maior variação para um mês de julho desde 2004, quando o índice foi de 0,93%. O mercado previa alta de 0,65%. No ano, o índice acumula alta de 4,88% e, em 12 meses, de 8,59%, acima dos 8,13% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em julho de 2020, a variação havia sido de 0,30%.

     Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, sete tiveram alta de preços em julho. O maior impacto (0,33 p.p.) e a maior variação (2,14%) vieram de Habitação. A segunda maior contribuição veio dos Transportes (1,07% e 0,22 p.p.), embora tenha desacelerado em relação ao mês anterior (1,35%). Na sequência, veio Alimentação e bebidas (0,49%), cujo resultado ficou acima do IPCA-15 de junho (0,41%) e contribuiu com 0,10 p.p. no índice do mês. O grupo Saúde e cuidados pessoais (-0,24%), por sua vez, apresentou queda em relação ao mês anterior e contribuiu com -0,03 p.p. no índice geral. Os demais grupos ficaram entre o -0,04% de Comunicação e o 0,81% de Artigos de residência.

     Em Alimentação e bebidas (0,49%), a alimentação no domicílio passou de 0,15% em junho para 0,47% em julho. Contribuíram para essa aceleração as altas do leite longa vida (4,09%), do frango em pedaços (3,09%), das carnes (1,74%) e do pão francês (1,81%). Por outro lado, permanecem em queda os preços da cebola (-15,94%), da batata-inglesa (-14,77%), das frutas (-1,33%) e do arroz (-1,14%). As informações são do IBGE.

     Revisão: Rodrigo Ramos / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA