Lucratividade da Fertilizantes Heringer supriu 2/3 do capital de giro em 2021

135

Porto Alegre, 17 de novembro de 2021 – A necessidade de capital de giro da Fertilizantes Heringer foi impactada pelos preços mais altos na aquisição das matérias primas e o aumento necessário para atender a demanda sazonal do período. A lucratividade crescente da companhia, entretanto, tem contribuído para minimizar essa demanda.

Segundo o head de finanças da empresa, Ricardo Cavalcanti, a empresa abriu 2021 com R$ 483,769 milhões de capital próprio suprindo a necessidade de capital de giro. A necessidade total em 31 de dezembro de 2020 era de R$ 750,305 milhões. Em 30 de setembro esse valor saltou para R$ 1,384 bilhão, dos quais R$ 881,305 milhões partiram de recursos próprios da Heringer. Apenas 36,4% veio de capital de terceiros, representando endividamento.

Sazonalmente o quarto trimestre da Heringer é o de maiores receitas, o que reduzirá fortemente os estoques e o endividamento no decorrer do trimestre.

Notícias positivas no agro

Para o diretor comercial e técnico da Heringer, Ulisses Maestri, as notícias positivas para ao agronegócio brasileiro, com exportações recorde em setembro, clima favorável às culturas, crédito rural recorde, entre outras, favorecem a demanda por fertilizantes. “O primeiro levantamento da Conab [Companhia Nacional do Abastecimento] já faz referência a uma nova safra recorde de grãos. As perspectivas do mercado são muito boas no que diz respeito a volume. Nossas expectativas são muito boas para os próximos semestres”, disse.

Ele disse que a empresa está atenta ao reajuste dos preços dos insumos, mas que trabalha para preservar margens, observando o mercado de reposição. “Não é algo tranquilo, é trabalhoso e nos esforçamos ao máximo para trazermos resultados à companhia. De modo geral, temos conseguido repassar os custos dos insumos”, disse.

Perguntado sobre eventuais dificuldades na aquisição de matérias-primas, Cavalcanti disse que os preços têm crescido substancialmente, mas a empresa não tem problemas até o momento, nem se preocupa com a aquisição daqui para frente.

Recuperação judicial

Conforme Ulisses, o foco da empresa está nos problemas internos. Assim, a movimentação da concorrência no mercado não é primordial. “Nosso propósito é a recuperação da companhia”, disse.

Cavalcanti disse que a Heringer faz perspectivas locais. “Trabalhamos eminentemente no mercado local. As perspectivas de consumo são muito boas. Sabemos que as cotações e os preços vão variar conforme o fornecimento e a oferta do mercado global, mas entendemos que devemos estar preparados para dar conta do que nosso mercado precisa, sempre prezando pela manutenção de margens e preservação da companhia. Para 2022, queremos estar preparados para manter as margens e a saúde da Heringer, como temos feito em 2021. Estamos bastante seguros quanto ao cumprimento do plano de recuperação”, finalizou.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA