Maior aversão ao risco pressiona algodão em Nova York

79

     Porto Alegre, 4 de março de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) para o algodão fechou com preços em baixa pela terceira sessão seguida. Apesar da forte alta do petróleo e avaliando as exportações semanais americanas, o mercado teve mais um dia de pressão técnica.

     Na parte da tarde, o movimento de vendas ganhou força, reflexo do aumento da aversão ao risco no mercado financeiro. O discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, trouxe preocupação e uma onda de recursos para câmbio e títulos. Em sua maioria, as commodities sentiram o impacto.

     As vendas líquidas norte-americanas de algodão (upland), referentes à temporada 2020/21, iniciada em 1o de agosto, ficaram em 169.000 fardos na semana encerrada em 25 de fevereiro. Representa uma queda de 32% frente à semana anterior e uma retração de 27% sobre a média das últimas quatro semanas. O maior importador foi o Vietnã, com 65.300 fardos.

     Para a temporada 2021/22, foram mais 40,6 mil toneladas. As informações são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

     Os contratos com entrega em maio fecharam a 87,14 centavos de dólar por libra-peso, baixa de 1,31 centavos, ou de 1,48%. Julho/2021 fechou a 88,13 centavos, com perda de 1,28 centavos, ou de 1,43%.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA