Mercado de boi gordo acelera ritmo de negócios e preços começam a se estabilizar

172

    Porto Alegre, 14 de maio de 2021 – O mercado físico de boi registrou preços de estáveis a mais baixos ao longo da semana nas principais praças de produção e comercialização do país. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o mercado apresentou bom ritmo de negócios no decorrer da semana. Os frigoríficos encontraram espaço para pressionar os pecuaristas diante da maior disponibilidade de boiadas. Com as pastagens desgastadas por conta da prolongada estiagem, a capacidade de retenção por parte do pecuarista foi bastante reduzida.

    “No entanto, já são evidenciadas dificuldades em reduzir de maneira ainda mais agressiva as indicações de preços, com indicações de negócios saindo acima das referências médias em muitos estados, incluindo São Paulo”, disse Iglesias.

    Para o início da entressafra, a expectativa é de maior propensão a reajustes, em linha com a potencial redução do confinamento de primeiro giro, resultado da forte elevação dos custos pecuários no decorrer de 2021.

    “Em relação à demanda doméstica de carne bovina, há uma grande expectativa pelo avanço da vacinação contra a Covid-19, permitindo uma retomada ordenada da atividade econômica, incorrendo em um menor risco de colapso do sistema de saúde”, assinalou. 

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 13 de maio:

* São Paulo (Capital) – R$ 303,00 a arroba, contra R$ 307,00 a arroba na comparação com 06 de maio (-1,3%).

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 297,00 a arroba, ante R$ 300,00 (-1%).

* Goiânia (Goiás) – R$ 290,00 a arroba, estável.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 295,00 a arroba, inalterado.

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 303,00 a arroba, contra R$ 308,00 a arroba (-1,62%).

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA