Mercado de milho deve retomar nos negócios em ritmo calmo no Brasil

154

     Porto Alegre, 17 de fevereiro de 2021 O mercado brasileiro de milho deve operar com movimentação calma nos negócios nesta quarta-feira, com a atenção dos produtores no cultivo da safrinha. A Bolsa de Chicago opera em queda, embolsando lucros.

     Na sexta-feira (12), o mercado brasileiro de milho encerrou a semana apresentando inexpressiva fluidez dos negócios, e preços estáveis. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, isso é algo natural às vésperas de um feriado prolongado. “Resta saber qual vai ser o apetite de compra entre os consumidores no retorno aos negócios, uma vez que as negociações não devem fluir durante o feriado”, indica.

     Iglesias reitera que as dificuldades de abastecimento serão algo recorrente ao longo do primeiro semestre, com o problema resolvido com a entrada da safrinha, a partir de julho. “Outro aspecto que precisa ser considerado é o atraso do plantio da safrinha, aumentando o risco climático”, diz.

     No Porto de Santos, o preço ficou em R$ 82,00/87,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço em R$ 82,00/85,00 a saca.

    No Paraná, a cotação ficou em R$ 79,00/80,00 a saca em Cascavel.  Em São Paulo, preço de R$ 82,00/83,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 84,50/86,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 84,50/85,50 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 75,00/76,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 75,50 – R$ 76,50 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 71,00/74,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos do milho com vencimento em março operam com baixa de 1,50 centavo, ou 0,27%, neste momento, cotados a US$ 5,50 3/4 por bushel.

* Os contratos do milho têm preços mais baixos na sessão eletrônica na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT). O mercado busca uma consolidação frente aos fortes ganhos desta terça-feira, quando o cereal acompanhou a disparada do vizinho trigo.

    Ontem (16), os contratos de milho com entrega em março/21 fecharam a US$ 5,52 1/4, alta de 13,50 centavos de dólar, ou 2,51%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* Ainda em decorrência do feriado do Carnaval, o mercado cambial só deve reabrir na parte da tarde no Brasil.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em baixa. Xangai, feriado. Tóquio, -0,58%.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,01%; e Londres, -0,19%.

* O petróleo opera em alta. Março do WTI em NY: US$ 61,27 o barril (+1,96%).

* O Dollar Index registra alta de 0,38%, a 90,86 pontos.

AGENDA

– O Banco Central (BC) divulga às 12h o Relatório Focus com as previsões do mercado para a economia.

– A bolsa brasileira abre o pregão às 13h em função do retorno do feriado de Carnaval.

– O Ministério da Economia divulga às 15h os dados da balança comercial até a última semana.

-EUA: Os dados sobre a produção industrial em janeiro serão publicados às 11h15 pelo Federal Reserve.

-EUA: A ata da última reunião de política monetária será publicada às 16h pelo Federal Reserve.

—–Quinta-feira (18/02)

– A FGV divulga às 8h os dados da segunda prévia do Indice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) referentes a fevereiro.

– Eurozona: O Banco Central Europeu (BCE) divulga às 9h30 a ata da reunião de política monetária de janeiro.

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 13h00min pelo Departamento de Energia (DoE).

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (19/02)

– Alemanha: O índice de preços ao produtor de janeiro será publicado às 4h pelo Destatis.

– Reino Unido: As vendas no varejo de janeiro serão publicadas às 4h pelo departamento de estatísticas.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA