Mercado de milho segue lento, com comprador distante dos negócios

208

     Porto Alegre, 22 de junho de 2021 – O mercado brasileiro de milho deve ter um dia de poucos negócios. Os compradores seguem distantes dos negócios, aguardando um maior movimento de queda nos preços para retomar as aquisições. No cenário internacional a Bolsa de Mercadorias de Chicago corrige os ganhos de ontem e opera em baixa.

     Ontem (21), o mercado brasileiro de milho registrou preços pouco alterados. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Paulo Molinari, a distância entre as bases de compradores e vendedores reduziram as negociações.

     No Porto de Santos, o preço ficou na faixa de R$ 75,00 a R$ 83,00 a saca (CIF). Já no Porto de Paranaguá, cotação entre R$ 75,00/83,00.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 86,00/90,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 85,00/87,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 88,00/90,50 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 88,00/92,00 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 87,00/90,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 78,00/R$ 80,00 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 72,00/77,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos com entrega em julho de 2021 operam com perda de 3,75 centavos em relação ao fechamento anterior, ou 0,56%, cotada a US$ 6,55 1/2 por bushel.

* O mercado mantém o tom negativo, com os investidores digerindo as condições das lavouras norte-americanas, divulgadas no final do dia de ontem.

* O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA, até 20 de junho, 65% estavam entre boas e excelentes condições – o mercado esperava 66% -, 29% em situação regular e 6% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana anterior, os números eram de 68%, 27% e 5%, respectivamente.

* Ontem (21), os contratos de milho com entrega em julho/21 fecharam a US$ 6,59 1/4 por bushel, ganho de 4,00 centavos de dólar, ou 0,61%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

*O dólar comercial registra alta de 0,37% a R$ 5,0410. O Dollar Index registra alta de 0,19% a 92,07 pontos.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em alta. Xangai, +0,80%. Tóquio, +3,12%.

* As principais bolsas na Europa registram índices mais altos. Paris, +0,13%. Londres, +0,41%

* O petróleo opera em baixa. Agosto do WTI em NY: US$ 72,79 o barril (-0,45%).

AGENDA

– Dados sobre as lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

– Governo Federal lança, a partir das 16h30, o Plano Safra 2021/22.

—–Quarta-feira (23/06)

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

—–Quinta-feira (24/06)

– Reino Unido: A decisão de política monetária será publicada às 8h pelo Banco da Inglaterra.

– O BC divulga às 8h o relatório trimestral de inflação.

– Estimativa para a safra mundial de grãos – CIG, na parte da manhã.

– EUA: a terceira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre de 2021 será publicada às 9h30 pelo Departamento do Comércio.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

—–Sexta-feira (25/06)

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) publica às 9h o Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) referente a junho.

– Atualização da evolução das lavouras argentinas – Ministério da Agricultura, na parte da manhã.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA