Mercado de soja deve ter dia lento, esperando USDA

139

     Porto Alegre, 11 de maio de 2021 – O mercado brasileiro de soja deve ter mais um dia de poucos negócios e de preços regionalizados nesta terça. À espera do USDA, os produtores tendem a permanecer retraídos, com Chicago em alta moderada e dólar com leva baixa frente ao real.

     Os preços da soja oscilaram entre estáveis e mais baixos nas principais praças do país na segunda. Com Chicago em leve baixa e dólar subindo pouco, os negociadores se afastaram, aguardando o relatório do USDA, o que resultou em um dia quase sem operações.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos recuou de R$ 176,50 para R$ 175,50. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 175,50 para R$ 174,50. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 180,50 para R$ 179,50.

     Em Cascavel, no Paraná, o preço caiu de R$ 174,00 para R$ 172,00 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca recuou de R$ 179,50 para R$ 178,00.

     Em Rondonópolis (MT), a saca baixou de R$ 174,00 para R$ 172,00. Em Dourados (MS), a cotação permaneceu em R$ 163,50. Em Rio Verde (GO), a saca seguiu em R$ 170,00.

CHICAGO

* Os contratos com vencimento em julho operam com alta de 0,34%, cotados a US$ 15,93 por bushel.

* Em sessão volátil, o mercado chegou a registrar perdas mais cedo, pressionado pelo bom andamento do plantio nos Estados Unidos. Mas o grão reagiu e reverteu para o território positivo, se aproximando das máximas do dia.

* O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou relatório sobre a evolução de plantio das lavouras de soja. Até 9 de maio, a área plantada estava apontada em 42%.

* O mercado esperava o número em 40%. Na semana passada, o número estava em 24%. Em igual período do ano passado, a semeadura era de 36%. A média é de 22%.

USDA

* Os agentes também começam a posicionar as carteiras à espera do tão

aguardado relatório de maio do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado nesta quarta, dia 12, às 13 horas (horário de Brasília).

* O Departamento vai divulgar as suas primeiras estimativas de oferta e demanda de soja americana para a temporada 2021/22. O mercado aposta em números de produção e estoques acima dos obtidos em 2020/21.

* Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em produção de 4,441 bilhões de bushels em 2021/22, superando a safra 2020/21, que está

estimada em 4,135 bilhões de bushels. Para os estoques, a previsão é de elevação, passando de 120 milhões previstos em abril para 132 milhões de bushels. O número para a temporada 20/21 pode ser cortado para 118 milhões, segundo avaliação do mercado.

* Em relação ao quadro de oferta e demanda mundial da soja, o mercado aposta em estoques finais 2021/22 de 88,8 milhões de toneladas, superando as 86,9 milhões de toneladas indicadas para 2020/21. Esse último número não deverá ser modificado no próximo levantamento.

* A produção brasileira de soja em 2020/21 deverá ter sua estimativa elevada de 136 milhões para 136,1 milhões de toneladas. A safra argentina pode ter corte, passando de 47,5 milhões para 46,7 milhões de toneladas.

PREMIOS

* O prêmio em Paranaguá para maio ficou em -45 e -15 sobre Chicago. Para junho, o prêmio é de -24 a -15.

CÂMBIO

*O dólar comercial registra baixa de 0,11% a R$ 5,226.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia encerraram em baixa. Xangai, +0,4%, sendo a exceção. Tóquio, -3,08%.

* As principais bolsas na Europa registram índices em baixa. Paris, -2,09%. Londres, -2,37%.

* O petróleo opera em baixa. Junho do WTI em NY: US$ 64,12 o barril (-1,21%).

* O Dollar Index registra perda de 0,16% a 90,07 pontos.

AGENDA

– Dados sobre as lavouras do Paraná – Deral, na parte da manhã.

—–Quarta-feira (12/05)

– Alemanha: A versão revisada do índice de preços ao consumidor de abril será publicada às 3h pelo Destatis.

– Reino Unido: A balança comercial de março será publicada às 3h pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A leitura preliminar do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre de 2021 será publicada às 3h pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A produção industrial de março será publicada às 3h pelo departamento de estatísticas.

– Eurozona: A produção industrial de março será publicada às 6h pela Eurostat.

– Atualização da estimativa para a safra brasileira de grãos 2020/21 – Conab, 9hs.

– Levantamento Sistemático de Produção Agrícola de abril – IBGE, 9hs.

– EUA: O índice de preços ao consumidor de abril será publicado às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– A posição dos estoques de petróleo dos EUA até sexta-feira da semana passada será publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).

– Relatório de maio de oferta e demanda dos EUA e mundial – USDA, 13hs.

– Resultados financeiros da BRF, da JBS e da SLC, depois do fechamento do mercado.

—–Quinta-feira (13/05)

– O BC divulga às 9h o índice de atividade econômica (IBC-Br) referentes a março.

– EUA: O índice de preços ao produtor de abril será publicado às 9h30 pelo Departamento do Trabalho.

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 9h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

– Resultado financeiro da Rumo e da Petrobras, após o fechamento do mercado.

—–Sexta-feira (14/05)

– Eurozona: a ata da última reunião de política monetária será publicada às 8h30 pelo Banco Central Europeu (BCE).

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– EUA: Os dados sobre a produção industrial em abril serão publicados às 10h15 pelo Federal Reserve.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Evolução da colheita de soja no Brasil – SAFRAS, na parte da tarde.

– Resultado financeiro da Cosan, no final do dia.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA