Moagem de cana atinge 45,65 mi t na primeira quinzena de julho – UNICA

182

     Porto Alegre, 27 de julho de 2021 – A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras do Centro-Sul alcançou 45,65 milhões de toneladas na 1ª metade de julho, com retração de 2,37% sobre o valor apurado na mesma quinzena da safra 2020/2021 – 45,76 milhões de toneladas.

   O estado de São Paulo registrou uma moagem de 26,38 milhões de toneladas (-4,54%) e nos demais estados da região centro-sul a quantidade

processada alcançou 19,26 milhões de toneladas (+0,76%).

   Desde o início do ciclo 2021/2022 até a primeira metade de julho, a moagem acumula queda de 7,36%. Nesse período, a quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas atingiu 256,75 milhões de toneladas, ante 277,15 milhões de toneladas mesmo período do último ciclo agrícola.

Em relação ao número de usinas em operação, 254 empresas registraram produção até dia 16 de julho, contra 264 unidades industriais em igual data do último ano. Na última quinzena, não houve novas unidades iniciando a safra.

Produtividade agrícola e qualidade da matéria-prima

   Dados preliminares apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) para a primeira quinzena de julho, considerando uma amostra comum de 24 unidades, registraram produtividade de 68,2 toneladas por hectare colhido no mês ante 79,0 toneladas observadas no mesmo período na safra 2020/2021 – queda de 14% no rendimento agrícola.

    Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da UNICA, comenta que “a amostra ainda é preliminar, mas indica que a queda na produtividade segue a tendência já observada nas últimas quinzenas. As baixas temperaturas observadas no início do mês também devem ter exigido alterações no cronograma de colheita em algumas regiões, impactando o rendimento da lavoura colhida”.

   A qualidade da matéria-prima processada na primeira quinzena de julho, mensurada a partir da concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR), aumentou 1,13% e atingiu 143,63 kg por tonelada de cana-de-açúcar em 2021 contra 142,02 kg verificados na mesma quinzena do último ano. No acumulado desde o início da safra até 16 de julho, o indicador de concentração de açúcares assinala 134,83 kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar, com aumento de 1,43% em relação ao valor da safra 2020/2021.

“Os dados de produtividade e qualidade da matéria-prima da primeira quinzena de julho ainda não incorporam todo o efeito esperado das geadas observadas nas regiões produtoras nos últimos dias. A influência desse evento deve ficar mais evidente na segunda quinzena de julho e no mês de agosto”, completa o executivo da UNICA.

Produção de açúcar e de etanol

    Na primeira metade do julho, 47,13% da cana-de-açúcar foi destinada à produção de açúcar, ante 47,89% registrados na mesma data de 2020. A produção do adoçante retraiu 2,84% na última quinzena e atingiu 2,94 milhões de toneladas fabricadas, ante 3,03 milhões de toneladas verificadas em igual período do ano anterior.

   O volume fabricado de etanol alcançou 2,16 bilhões de litros na primeira quinzena de julho. Seguindo o padrão observado desde o início da safra, observa-se um aumento substancial na fabricação de etanol anidro, com 889 milhões de litros produzidos, alta de 32% em relação a mesma quinzena do último ciclo agrícola. A produção de etanol hidratado registrou 1,27 bilhão de litros fabricados (-13,03%). Do total produzido de biocombustível, 129,95 milhões de litros foram fabricados a partir do milho.

   No acumulado desde o início da safra 2021/2022 até 16 de julho, a produção de açúcar alcançou 15,20 milhões de toneladas, contra 16,38 milhões de toneladas verificadas na mesma data do ciclo 2020/2021. A fabricação acumulada de etanol, por sua vez, totalizou 11,81 bilhões de litros, sendo 4,31 bilhões de litros de etanol anidro e 7,50 bilhões de litros de etanol hidratado. Do total fabricado, 815,61 milhões de litros do biocombustível foram produzidos a partir do milho.

     “As unidades produtoras permanecem priorizando a produção do etanol utilizado como aditivo à gasolina, registrando sucessivos aumentos ao longo das quinzenas”, explicou Rodrigues.

     As informações partem da assessoria de imprensa da UNICA.

Revisão: Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) – Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA