Negócios com trigo começam a voltar à normalidade no Brasil

404

Porto Alegre, 8 de janeiro de 2021 – O mercado brasileiro de trigo segue com reportes pontuais de negócios. Apesar disso, o sentimento é de gradual retomada das atividades à normalidade. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Jonathan Pinheiro, os preços apresentam sutil reação no Paraná, tendo em vista tanto as cotações mais elevadas no mercado Argentino, quanto a alta do dólar em relação ao real, que encarece a importação do grão.

“Neste cenário, os preços para o trigo doméstico ganham espaços para valorização, devido ao ganho de competitividade frente ao produto importado, pelas paridades. Demais praças tendem a reagir a este estímulo no decorrer das próximas semanas, conforme houver crescimento da liquidez no país, caso o câmbio siga em recuperação”, disse.

Argentina

A colheita de trigo atinge 98,4% da área na Argentina. Segundo boletim semanal da Bolsa de Cereais de Buenos Aires, os trabalhos avançaram 6,5 pontos percentuais na semana e estão 2,9 pontos adiantados em relação ao ano passado. A Bolsa elevou a projeção de produção de 16,8 para 17 milhões de toneladas. Em números absolutos, foram recolhidas 16,635 milhões de toneladas ao longo de 5,938 milhões de hectares.

Expectativa para USDA

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) divulga no próximo dia 12, às 14h, seu relatório mensal de oferta e demanda para o trigo na safra 2020/21, relativos à produção e estoques dos Estados Unidos e do mundo.

Segundo analistas consultados por agências internacionais, os estoques finais dos Estados Unidos em 2020/21 devem ser indicados em 856 milhões de bushels – contra 862 milhões em dezembro. As estimativas variaram de 837 milhões a 877 milhões de bushels. Em 2019/20, o USDA indicou 1,028 bilhão de bushels.

Os estoques globais ao final de 2020/21 são estimados em 315,3 milhões de toneladas, abaixo das 316,5 milhões de toneladas estimadas em dezembro. O volume mínimo estimado foi de 310 e o máximo, 318,4 milhões de toneladas.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA