Preço do arroz mantém movimento de queda com evolução da colheita

56

     Porto Alegre, 5 de março de 2021 – O mercado brasileiro de arroz iniciou o mês de março mantendo o movimento de recuo nos preços, diante do andamento da colheita do cereal. A queda só não é maior em virtude do dólar, que segue forte frente ao real, com a cotação se aproximando de R$ 5,70 nesta sexta-feira (5). 

     Na média do Rio Grande do Sul, a saca de 50 quilos do cereal em casca encerrou a quinta-feira (4) cotada a R$ 84,90, ante R$ 87,20 no dia 25 de fevereiro. Representa um recuo de 4,87% frente ao mesmo momento do mês anterior. Mas ainda tem alta de 72,28% quando comparada ao mesmo período do ano passado.

     Segundo a Emater, a colheita do arroz no Rio Grande do Sul atinge 12% da área. Na semana passada, os trabalhos chegavam a 5%. Em igual período do ano passado, a ceifa chegava a 13%. A média para os últimos cinco anos é de 11%. O potencial produtivo da cultura continua excelente, com lavouras com desenvolvimento normal. A cultura não sofre ataque significativo de pragas e doenças.

     As importações brasileiras de arroz base casca somaram 16,609 mil toneladas em fevereiro (18 dias úteis), com média diária de 922,7 toneladas. O valor com as comprar no exterior totalizou US$ 5,487 milhões, com média diária de US$ 304,8 mil. As informações são do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

     Em relação à igual período do ano anterior, houve avanço de 759,47% no volume diário importado (107,4 toneladas diárias em fevereiro de 2020). Já a receita diária teve elevação de 1.428,45% (US$ 19,9 mil diários em fevereiro de 2020).

     Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA