Preços do boi gordo reagem com demanda chinesa e devem subir mais

173

    Porto Alegre, 21 de maio de 2021 – O mercado físico de boi gordo registrou preços de estáveis mais altos ao longo da semana. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, houve negócios acima da referência média para animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês.

    “Os frigoríficos não conseguem exercer pressão sobre o mercado. Assim, os sinais de alta serão ainda mais visíveis a partir da virada de mês, quando haverá maior dependência da oferta de bois confinados para compor as escalas de abate”, disse ele.

     O primeiro giro de confinamento apresentará queda no ano de 2021. “Ou seja, entre os meses de junho e julho haverá uma sensível redução do volume de animais ofertados. No entanto a atual curva dos preços futuros é um importante estímulo ao segundo giro de confinamento”, assinalou Iglesias.

   Os agentes seguem com muita atenção aos números de exportação de carne bovina, uma vez que a Argentina confirmou a suspensão por 30 dias das exportações, abrindo uma grande oportunidade para o mercado brasileiro.

   No mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem acomodados. Conforme Iglesias, a tendência é de maior espaço para reajustes no decorrer da primeira quinzena de junho, período que conta com maior apelo ao consumo.

    Somado a isso, os frigoríficos devem apresentar esvaziamento dos estoques em junho, conforme aumenta a dificuldade da composição das escalas de abate. “Por outro lado, é sempre relevante salientar que a carne de frango ainda dispõe da predileção do consumidor médio, algo natural em um momento de lenta recuperação da atividade econômica”, apontou Iglesias.

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 20 de maio:

* São Paulo (Capital) – R$ 305,00 a arroba, contra R$ 303,00 a arroba na comparação com 13 de maio (+0,66%).

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 300,00 a arroba, ante R$ 295,00 (1%).

* Goiânia (Goiás) – R$ 290,00 a arroba, estável.

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 300,00 a arroba, ante R$ 295,00 (+1,7%).

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 303,00 a arroba, estável.

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA