Preços do boi gordo reagem no final de maio e devem continuar subindo

115

    Porto Alegre, 28 de maio de 2021 – O mercado físico de boi gordo apresentou preços mais altos na maioria das regiões de produção e comercialização do país em maio, após quedas generalizadas em abril. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o viés foi de queda até o início da última semana de maio, quando os preços iniciaram uma escalada e praticamente compensaram as quedas acumuladas ao longo do mês em apenas quatro dias, com negócios acima da referência média sendo registrados para animais que cumprem os requisitos de exportação para a China no mercado paulista, onde a arroba chegou a R$ 320,00 nos últimos dias.

     Segundo ele, a oferta de animais de safra é apenas residual neste momento e não tem capacidade para sustentar a posição das escalas de abate. “Os frigoríficos voltam a operar com uma programação encurtada, e o movimento de alta é evidenciado em todas as regiões relevantes em termos de comercialização e tende a ganhar corpo no início de junho”, assinalou o analista.

     A oferta de animais confinados é discreta, consequência da redução do confinamento de primeiro giro em função do aumento dos custos pecuários. Com o potencial avanço da demanda de carne bovina durante o segundo semestre, “as condições estão explícitas para que o boi gordo renove suas máximas históricas; é possível que esse movimento ocorra de maneira ainda mais precoce do que o imaginado”, pontuou.

    Com isso, os preços a arroba do boi gordo na modalidade a prazo nas principais praças de comercialização do País estavam assim no dia 27 de maio:

* São Paulo (Capital) – R$ 316,00 a arroba, contra R$ 310,00 a arroba em 30 de abril, subindo 1,94%.

* Minas Gerais (Uberaba) – R$ 305,00 a arroba, ante R$ 302,00 a arroba, alta de 0,99%.

* Goiânia (Goiás) – R$ 300,00 a arroba, contra R$ 293,00 a arroba (+2,4%).

* Mato Grosso do Sul (Dourados) – R$ 301,00 a arroba, contra R$ 300,00 a arroba (+0,33%)

* Mato Grosso (Cuiabá) – R$ 305,00 a arroba, contra R$ 310,00 a arroba (caindo 1,61%).

     Fábio Rübenich (fabio@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA