Pressão de oferta determina queda do trigo em Chicago

108

Porto Alegre 27 de julho de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços mais baixos. O mercado foi pressionado pelo avanço da colheita de inverno e o começo da de primavera. Além disso, pesaram negativamente os sinais de fraca demanda pelo grão estadunidense e notícias de amplas colheitas em regiões produtoras da Rússia.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou dados sobre as condições das lavouras americanas de trigo primavera. Segundo o USDA, até 25 de julho, 9% estão entre boas e excelentes condições, 25% em situação regular e 66% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana passada, os percentuais ficavam em 11%, 26% e 63%, respectivamente.

O USDA disse que até 25 de julho, a colheita estava apontada em 3%. Na semana passada, os trabalhos atingiam 92%. Em igual período do ano passado, o número estava em 1% e a média dos últimos cinco anos é de 2%.

Para a safra de inverno, a colheita estava apontada em 84%. O mercado esperava 84%. Na semana anterior, o número era de 73%. Em igual período do ano passado, o número estava em 80% e a média dos últimos cinco anos é de 81%.

No fechamento de hoje, os contratos com entrega em setembro de 2021 eram cotados a US$ 6,74 1/2 por bushel, recuo de 2,50 centavos, ou 0,36%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro de 2021 eram negociados a US$ 6,84 1/4 por bushel, baixa de 2,50 centavos de dólar, ou 0,36%, em relação ao fechamento anterior.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA