Quebra da safrinha de milho por seca em Unaí (MG) pode subir ainda mais

166

     Porto Alegre, 22 de junho de 2021 – Atualmente estimada em 40%, a quebra na safrinha de Unaí, no noroeste de Minas Gerais pode se acentuar ainda mais. Quem informa é o departamento técnico da Cooperativa Agrícola de Unaí Ltda (Coagril).

     Segundo fonte do departamento técnico, as lavouras, ocupando 80 mil hectares, se dividem entre as fases de maturação (15%) e enchimento de grãos (85%). “A colheita nas áreas de pivô e nas áreas de sequeiro plantada mais cedo deve ocorrer a partir de julho. Mas o forte da colheita, devido ao atraso no cultivo, deve ocorrer em agosto. É possível que os trabalhos possam ser concluídos apenas em setembro”, disse.

     A fonte ressalta que as chuvas da semana passada em nada mudaram o cenário de perdas, seja pelo ataque forte da cigarrinha ou pelo cenário de estiagem durante toda a fase de desenvolvimento do milho. “Havia uma expectativa de melhor colheita no milho de pivô, mas o rendimento deve ficar em apenas 7.200 quilos por hectare. Nas lavouras de sequeiro o quadro ainda é pior, com algumas áreas colhendo 3.600 quilos por hectare ou menos”, avalia.

     Segundo SAFRAS & Mercado, a área cultivada da safrinha em Minas Gerais deve ocupar 870,252 mil hectares. Ela deve avançar 11,2% frente aos 782,531 mil hectares cultivados no ano passado.

     A produção de milho safrinha em Minas Gerais deve chegar a 4,264 milhões de toneladas, acima das 4,127 milhões de toneladas colhidas no ano passado. A produtividade média é esperada em 4.900 quilos por hectare, abaixo dos 5.275 quilos por hectare colhidos na safrinha 2019/20.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA