Retenção de oferta de milho deve manter preços firmes no Brasil

212

     Porto Alegre, 11 de fevereiro de 2021 O mercado brasileiro de milho deve manter preços firmes, em meio ao movimento de retenção de oferta por parte dos produtores. A baixa do dólar e a queda em Chicago, porém, podem vir a limitar a movimentação de negócios. A Bolsa de Chicago estende as perdas da última sessão.

     Ontem (10), o mercado brasileiro de milho teve preços firmes. A oferta limitada no país mantém o suporte ao milho. Porém, a forte baixa do milho na Bolsa de Chicago teve influência no mercado e limitou avanços.

     No Porto de Santos, o preço ficou em R$ 81,00/87,00 a saca. No Porto de Paranaguá (PR), preço em R$ 81,00/85,00 a saca.

     No Paraná, a cotação ficou em R$ 79,00/80,00 a saca em Cascavel. Em São Paulo, preço de R$ 82,00/83,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 84,50/86,00 a saca.

     No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 84,50/85,50 a saca em Erechim. Em Minas Gerais, preço em R$ 75,00/76,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$ 75,50 – R$ 76,50 a saca em Rio Verde – CIF. No Mato Grosso, preço ficou a R$ 71,00/74,00 a saca em Rondonópolis.

CHICAGO

* Os contratos do milho com vencimento em março operam com baixa de 0,75 centavo, ou 0,14%, neste momento, cotados a US$ 5,33 3/4 por bushel.

* O mercado segue pressionado pela redução menor que esperada nos estoques norte-americanos.

* O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) informou que os Estados Unidos deverão ter estoques finais de passagem da safra 2020/21 de 1,502 bilhão de bushels, abaixo dos 1,552 bilhão de bushels indicados no mês passado, mas acima da expectativa do mercado, que esperava um número de 1,363 bilhão de bushels.

* Os investidores também estão no aguardo das vendas líquidas semanais norte-americanas de milho, que serão divulgadas hoje pelo Departamento de Agricultura do País (USDA).

* Ontem (10), os contratos de milho com entrega em março/21 fecharam a US$ 5,34 1/2, baixa de 21,75 centavos de dólar, ou 3,91%, em relação ao fechamento anterior.

CÂMBIO

* O dólar comercial registra desvalorização de 0,55% a R$ 5,3420.

INDICADORES FINANCEIROS

* As principais bolsas da Ásia fecharam mistas. Xangai, feriado. Tóquio, feriado.

* As principais bolsas na Europa operam mistas. Paris, +0,04%; Frankfurt, +0,72%; e Londres, -0,02%.

* O petróleo opera com perdas. Março do WTI em NY: US$ 58,27 o barril (-0,69%).

* O Dollar Index registra queda de 0,10%, a 90,28 pontos.

AGENDA

– Exportações semanais de grãos dos EUA – USDA, 10h30min.

– Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas – Bolsa de Cereais de Buenos Aires, 15hs.

– Dados das lavouras no Rio Grande do Sul – Emater, na parte da tarde.

– A Cosan divulga após o fechamento do mercado os resultados financeiros do 4T20.

—–Sexta-feira (12/02)

– A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços – 10 (IGP-10) referentes a fevereiro.

– O BC divulga às 9h o índice de atividade econômica (IBC-Br) referentes a dezembro.

– Eurozona: A produção industrial de dezembro será publicada às 7h pela Eurostat.

– China: A bolsa de Xangai permanece fechada em função de um feriado.  

– Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina – Ministério da Agricultura, no início do dia.

– Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso – IMEA, na parte da tarde.

– Teleconferência sobre os resultados financeiros da Cosan, 11h.

– Reino Unido:  A balança comercial de dezembro será publicada às 4h pelo departamento de estatísticas.

– Reino Unido:  A produção industrial de dezembro será publicada às 4h pelo departamento de estatísticas.

     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA