Sinais de menor oferta de trigo impulsionam forte alta em Chicago

104

Porto Alegre 29 de julho de 2021 – A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o trigo encerrou com preços acentuadamente mais altos. O mercado foi impulsionado pelas más condições das lavouras dos Estados Unidos. Segundo a Reuters, um tour sobre as planícies do norte dos EUA vem registrando produtividades abaixo da média dos últimos anos.

Além disso, nesta quinta-feira, o Conselho Internacional de Grãos (CIG) cortou sua projeção para a safra global em 1 milhão de toneladas, caindo para 788 milhões de toneladas. O motivo é o rebaixamento das previsões nos Estados Unidos e no Canadá. Na Rússia, a expectativa também é de menor produção.

Sinais de boa demanda pelo grão estadunidense também contribuíram com os ganhos. As vendas líquidas norte-americanas de trigo, referentes à temporada comercial 2021/22, que tem início em 1o de junho, ficaram em 515.200 toneladas na semana encerrada em 22 de julho. Representa um avanço de 9% frente à semana anterior e uma elevação de 46% sobre a média das últimas quatro semanas. Destaque para a venda de 128.900 toneladas para a China. Os analistas esperavam exportações entre 300 mil e 600 mil toneladas. As informações são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

No fechamento de hoje, os contratos com entrega em setembro de 2021 eram cotados a US$ 7,05 1/4 por bushel, ganho de 16,50 centavos, ou 2,39%, em relação ao fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro de 2021 eram negociados a US$ 7,13 3/4 por bushel, alta de 16,00 centavos de dólar, ou 2,29%, em relação ao fechamento anterior.

Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA