SLC Agrícola assina contrato de arrendamento com Agrícola Xingú

259

     Porto Alegre, 9 de abril de 2021 – A SLC Agrícola S.A. (B3: SLCE3; ADR’s: SLCJY; BLOOMBERG: SLCE3:BZ; Refinitiv: SLCE3.SA) (“a Companhia”), informa a seus acionistas e ao mercado em geral que, nesta data, assinou contrato de arrendamento, como parte arrendatária, com a Agricola Xingu S.A., através do qual passará a explorar uma área de 39.034 hectares, distribuídos entre os municípios de Correntina/BA (34.284 hectares) e Unaí/MG (4.749 hectares). 

     As áreas arrendadas seguem a estratégia de expansão da Companhia em terras maduras, com alto potencial produtivo e atendendo aos requisitos de adequação ambiental. A Companhia utiliza-se de todos os recursos necessários para que suas atividades sejam sustentáveis e responsáveis, usando as melhores práticas mundiais de forma a impactar positivamente as questões ambientais e sociais onde atua, através de uma produção de baixo carbono, contribuindo para minimizar as mudanças climáticas alinhando-se a seu Sonho Grande.

     As áreas são desenvolvidas e devidamente licenciadas, já destinadas ao plantio de grãos e algodão.

     O prazo do contrato será de quinze (15) anos para as áreas da Bahia, e dez (10) anos para as áreas de Minas Gerais.

      O valor do arrendamento, que foi firmado em patamares de mercado para a região, contempla também o direito de uso das instalações operacionais já existentes nas propriedades, que contam com infraestrutura para irrigação em 6.618 hectares, capacidade de armazenagem para grãos e também com unidades de beneficiamento de algodão (algodoeira), sendo necessário apenas o investimento em máquinas, que serão adquiridas da própria Agricola Xingu S.A.. A maioria dos colaboradores será incorporada ao time da SLC Agrícola.

     Em função das dimensões, para o gerenciamento da área da Bahia será constituída uma nova unidade produtiva, denominada Fazenda Paysandu. 

     A área de Minas Gerais, em função das dimensões e da proximidade, será administrada pela Fazenda Pamplona.

     Considerando que 50% da área irrigada oferece potencial de segunda-safra, a Companhia estima um potencial de plantio de 42.342 hectares, entre soja, algodão e milho, que serão adicionados à área total plantada já na safra 2021/22. 

     A consumação da Operação estará sujeita à aprovação do CADE, e ao decurso de prazo de quinze (15) dias após a publicação da aprovação irrestrita e sem ressalvas da Operação no Diário Oficial. Durante esse processo as Partes cooperarão mutuamente e empregarão seus melhores esforços para obtenção da aprovação, apresentando ao órgão as informações e dados necessários e complementando-os, eventualmente, caso necessário. As informação são da assessoria de imprensa da empresa.

     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA