Soja cai mais de 1% em Chicago, pressionada por colheita e USDA

82

     Porto Alegre, 11 de outubro de 2021 – Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços mais baixos. O mercado foi pressionado pelo avanço da colheita no Brasil e pela expectativa de números baixistas no relatório de outubro do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que será divulgado na terça, às 13hs.

     O USDA deve elevar a sua estimativa para a safra de soja dos Estados Unidos em 2021/22. Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em produção de 4,409 bilhões de bushels em 2021/22. Em setembro, a previsão ficou em 4,374 bilhões de bushels. No ano passado, a produção foi de 4,135 bilhões.

      Para os estoques, o mercado aposta em estimativa de 289 milhões. Em setembro, o USDA indicou estoques em 185 milhões de bushels.

     Em relação ao quadro de oferta e demanda mundial da soja, o mercado aposta em estoques finais 2021/22 de 101 milhões de toneladas, contra 98,9 milhões estimados em setembro. Para 2020/21, a previsão deverá subir de 95,1 milhões para 96,4 milhões de toneladas.

     Para o Brasil, o USDA deve indicar safra de 144,1 milhões de toneladas para 2021/22, um pouco acima da estimativa de setembro, de 144 milhões. A produção argentina deverá ser indicada em 51,6 milhões, abaixo dos 52 milhões indicados no relatório de setembro.

     Além do relatório de oferta e demanda, o USDA vai divulgar amanhã as inspeções semanais de grãos e o levantamento de condições das lavouras, às 12hs e 17hs, respectivamente. Os documentos, divulgados tradicionalmente na segunda, tiveram o anúncio adiado para terça, devido ao feriado parcial de hoje nos Estados Unidos, Columbus Day.

     Os contratos da soja em grão com entrega em novembro fecharam com baixa de 14,75 centavos de dólar por bushel ou 1,18% a US$ 12,28 1/4 por bushel. A posição janeiro teve cotação de US$ 12,39 3/4 por bushel, com perda de 14,50 centavos ou 1,15%.

     Nos subprodutos, a posição dezembro do farelo fechou com baixa de US$ 1,60 ou 0,5% a US$ 317,10 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em dezembro fecharam a 60,51 centavos de dólar, baixa de 1,00 centavo ou 1,62%.

     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA