Vários membros do Fed indicaram vontade de discutir retirada gradual da acomodação

120

Porto Alegre, 19 de maio de 2021 – Vários membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) sugeriram iniciar as discussões sobre a retirada gradual da acomodação caso a economia dos Estados Unidos avance em direção às metas de pleno emprego e estabilidade de preços, mostrou a ata da reunião de política monetária realizada em 27 e 28 de abril.

“Vários participantes sugeriram que, se a economia continuasse a progredir rapidamente em direção às metas do Comitê, poderia ser apropriado em algum momento das próximas reuniões começar a discutir um plano para ajustar o ritmo de compras de ativos”, diz a ata.

Desde março do ano passado, o Fed tem usado a compra de ativos como uma ferramenta adicional para ajudar a economia norte-americana a atravessar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus junto com uma taxa de juros na faixa entre zero e 0,25% ao ano. Atualmente, a autoridade monetária adquire US$ 120 bilhões ao mês em títulos do Tesouro e lastreados em hipotecas.

Muitos membros do Fed, incluindo o presidente Jerome Powell, vêm indicando que a retirada dessa acomodação extraordinária começará pela redução gradual das compras desses ativos – processo conhecido como tapering. Para isso, no entanto, o banco central norte-americano deseja ver progressos substanciais na direção de seu mandato duplo – que deve levar um tempo para acontecer. A ata de hoje, mais uma vez, confirmou esse entendimento.

“Em sua discussão sobre as compras de ativos do Federal Reserve, vários participantes observaram que provavelmente levaria algum tempo até que a economia tivesse feito progressos substanciais em direção às metas de emprego máximo e estabilidade de preços do Comitê em relação às condições prevalecentes em dezembro de 2020, quando o Comitê primeiro forneceu sua orientação para compras de ativos. Consistente com a orientação baseada em resultados do Comitê, as compras continuariam pelo menos no ritmo atual até aquele momento”, dia a ata.

As informações são da Agência CMA.

Revisão: Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2021 – Grupo CMA