Volcafe projeta queda de 33% na produção de arábica do Brasil em 2021

741

     Porto Alegre, 27 de novembro de 2020 – A produção de café arábica do Brasil em 2021/22 deverá cair em 33%, com o clima seco persistindo nas regiões produtoras, enquanto os cafeicultores estão na poda das árvores. A avaliação é da trader de café Volcafe, uma das maiores do mundo. A notícia parte da Bloomberg.

     Segundo a Volcafe, o Brasil deverá colher em 2021 34,2 milhões de sacas de arábica, contra 51 milhões de sacas este ano. Essa “tentativa’ de uma estimativa vem após uma pesquisa de safra preliminar, que foi restrita devido à pandemia.

     A safra do Brasil já tinha uma queda esperada natural devido ao ciclo bienal do arábica. Mas, o clima seco e o aumento da poda nas lavouras depois que não houve um bom pegamento das floradas, em regiões como o sul e cerrado de Minas Gerais e a mogiana paulista, levam a essa expectativa de uma maior redução na safra. A Volcafe cortou em 3,3 milhões de sacas sua projeção em relação ao que indicava em junho.

     “Embora normalmente o café possa suportar períodos de baixa umidade entre maio e agosto sem perdas irreversíveis, a prolongada estiagem especialmente no sul de Minas Gerais, partes da mogiana e do cerrado nos últimos três meses levaram a uma umidade no solo abaixo da média e um impacto negativo nas floradas”, relatou a Volcafe.

     A queda na produção do café em 2021/22 deve levar o mercado de arábica a ter um déficit recorde na oferta de 11 milhões de sacas, segundo a Volcafe. A demanda de café, segundo a trader, caiu mais de 4 milhões de sacas em seis meses devido à pandemia, com o consumo recuando em 0,6% na temporada que encerrou em 30 de setembro (2019/20). Mas o consumo deve subir em 1,2% na temporada atual de 2020/21 (outubro/setembro), ainda abaixo do crescimento médio dos últimos cinco anos, que é de 2,6%.

Copyright 2020 – Grupo CMA